Sobre a NÃO ativação das notificações no Instagram (1)

Depois do meu nosso feed ser invadido por posts solicitando a ativação das notificações no Instagram, eu precisava escrever algo a respeito. Aliás, sobre a NÃO ativação das notificações no Instagram.

Em março, a rede anunciou uma grande reformulação no feed, que apesar de ainda não ter sido implementada, causou polêmica entre os usuários. Uma mudança no algoritmo da rede social promete alterar a ordem em que fotos e vídeos aparecem, deixando de ser cronológica e passando a ser por relevância, da mesma forma como é feito no Facebook. (Veja como o Facebook decide o que é destaque.)

Mas como assim? Até agora, os usuários viam as fotos pela ordem de publicação, das mais recentes para as mais antigas. Com a mudança, o Instagram passa a usar uma fórmula para identificar o que provavelmente nos interessa mais, com base no nosso próprio comportamento na rede, e vai exibir esse conteúdo primeiro. O novo algoritmo leva em consideração variáveis como a relação que você tem com aquele outro usuário, o número de likes da foto e o horário.

Sobre a NÃO ativação das notificações no Instagram (2)
E o que será que levou o Instagram a realizar a mudança?
 De acordo com a equipe da rede, as pessoas deixam de ver, em média, 70% daquilo que seus contatos postam. Quem segue muitos perfis já não consegue mais acompanhar o feed em ordem cronológica. Logo, é natural que a rede queira fazer com que os outros 30% seja relevante: isso aumenta o tempo de permanência na ferramenta pelo usuário e atrai mais anunciantes.

Vai ficar mais difícil para que marcas/bloggers/celebs se destaquem nos feeds dos usuários de maneira orgânica, isso é, considerando apenas a relevância do conteúdo que eles publicam. Para aparecer, elas terão de investir em anúncios – assim como, de novo, já acontece no Facebook.

Ao longo dos últimos meses, o Instagram tem registrado uma queda nas taxas de interação dos usuários. Os perfis têm tido cada vez menos novos seguidores. Quanto menos seguidores, menos atividade – hoje, os seguidores interagem 40% a menos do que faziam no passado, diz uma análise da consultoria de redes sociais Quintly. Exibir o conteúdo que o usuário tem mais chances de gostar primeiro é uma maneira de fazê-lo sempre voltar.

E nesse novo funcionamento do Instagram, a “relevância” do conteúdo destacado é relativa: depende da inteligência e da precisão do algoritmo. Se falhar na avaliação do que é interessante para cada usuário, a rede pode ficar cada vez menos interessante.

Sobre a NÃO ativação das notificações no Instagram (3)

Então qual a minha opinião sobre a ativação das notificações no Instagram, no fim das contas? O título já deixou claro! Marcas/bloggers/celebs não devem pedir para ativar e usuários não devem ativar. Por mais que a gente goste de um perfil, receber todas as notificações de postagem dele, o tempo todo, pode ficar cansativo e chato.

Imagina se eu estou cobrindo um evento e resolvo publicar uma foto a cada minuto e vocês recebem todas essas notificações. Além de desativá-las, vocês possivelmente ainda vão me dar um belo unfollow. :p Vai lá, eu te desafio a aceitar todos os pedidos e ativar todas as notificações. É assim que o seu smartphone vai ficar.

Sobre a ativação das notificações no Instagram

Pra quem não se lembra, o mesmo ocorreu com o Facebook, quando a rede anunciou a redução na entrega de conteúdo orgânico pelas fan pages. Todo mundo saiu feito louco pedindo para ativar notificações. Pergunta: resolveu algum coisa? não. Mas as pessoas passaram a migrar para outra rede social. Adivinha qual? O Instagram.

Infelizmente precisamos nos adaptar às mudanças. O mundo é do anunciante que paga mais. Mas encher seu público de notificações não é a saída. A dica é continuar interagindo, comentando, curtindo, respondendo, seguindo novos perfis e publicando fotos de qualidade. Ou mudar de rede social. Como disse, essa nova fórmula a ser implementada pode falhar e por mais que a gente interaja, é possível perdemos fotos, novidades e detalhes da vida de quem a gente gosta de seguir…acontece.

Mas de verdade, sabe o que eu queria mesmo? Uma “nova rede social”, com um novo formato para publicidade, que não interfira na interação e engajamento entre usuários. Particularmente estou beeeem cansada de Facebook e Instagram. As redes perderam a essência. Atualizo apenas pelos meus seguidores. A minha queridinha do momento é o Snapchat…quem diria. Se quiser, me segue lá: flaviamqu. Aproveita que o Mark Zuckerberg ainda não comprou. 😉

Update: Instagram atende ao clamor popular. Mas é momentâneo. A mudança será inevitável. :/

 

Fontes adaptadas: The Verge e Nexo Jornal

assinatura-manteiga-derretida-blog-belo-horizonte